domingo, 2 de agosto de 2015

Recomeçar

A madrugada sempre vem para me fazer lembrar. Eu não quero lembrar. O rolar na cama a deixa quente demais do meu próprio corpo, não me agrada, me viro do avesso, viro o travesseiro pra tentar recomeçar
Ao saber que todas as noites passo em claro, acabo vagando pelas ruas, procurei nas variadas músicas encontrar você, tentei te achar nos copos de bebidas mais baratos, passando em cada bar pra ver se tinha te perdido em algum maço de cigarro qualquer, ou nos choros de mágoa de uma mulher. Seguindo esta lógica, eu tentava me livrar de você pelo suor do meu corpo, grudado num outro. E Percebo que essa é a minha unica forma de amar, que é tentando me livrar de cada lembrança, jogando o jogo mais sujo.


Eu não lembro mais o peso de uma lágrima, não quero mais sofrer por quem não sofre por mim. Vá embora e leve minha falta de apetite, não quero perder a fome e o sono. Está sendo inevitável. Percebo que a madrugada não são dos mortos, mas sim pros que estão em redenção. Tentando, rezando e chorando para fazer com que a culpa se vá junto com a sensação de solidão.





Amanhece e o arrependimento se faz presente, a ressaca me punindo por ser imprudente. 
A música ainda toca nos meus fones de ouvido, curiosamente é a mesma música que cantava pra ti, pra poder te conquistar, aquela que dizia ser nossa música e você adorava me ouvir sussurrar sem saber direto cantar. Não queria lembrar, mas a madrugada daqui a pouco esta ai e a solidão vem me acompanhar. Já me faz companhia. Essa é minha forma de recomeçar e não de amar.
Reações:

0 comentários:

Postar um comentário