quinta-feira, 16 de janeiro de 2014

Funeral for my mind



O seu nome é dito, e em minha cabeça começa a canção do Réquiem. Imagino minha morte. Tento me livrar, mas as pessoas em minha volta estão fixadas e esperançosas. Como se esperassem isso o ano todo, querem saber como irá acabar, quem vai sobrar.  Por outro lado, tem os que odeiam e acham que é tudo enganação. Continuo morrendo.

Estou dividido entre dois lados: Aceitar e ver minha mente morrer,

segunda-feira, 13 de janeiro de 2014

Promessa


O ano novo chegou e me trouxe as mesmas coisas do velho, resolvi fazer um trato com ele, não iria mais prometer nada, a única coisa que iria prometer seria: cumprir tudo o que não pude ao longo dos anos. Essa foi minha promessa. Pretendo cumprir.

Os anos passaram e sinto o amadurecimento, meu corpo envelhecendo. Nem mesmo meu espírito jovem quer muito se manifestar. Não serei o chaves da vida real. Estou envelhecendo e isso é um fato. Talvez seja a crise dos Vinte e poucos anos.

Não te direi que o futuro não me assusta,